Varicela

A varicela (catapora) é uma das doenças comuns da infância. Altamente contagiosa, é causada por um vírus e acomete principalmente crianças. Sua incidência é bem maior entre os meses de setembro e dezembro.

No quadro inicial da catapora pode ocorrer febre moderada e sintomas diversos, como mal-estar, perda de apetite, dor de cabeça e dor de barriga. Aparecem manchas avermelhadas pelo corpo e, em seguida, bolhinhas avermelhadas que evoluem rapidamente para pequenas pústulas e depois há a formação de crostas (casquinhas) após 3 ou 4 dias.

As manchas, bolhas, pústulas e crostas vão surgindo durante a evolução da doença, sendo comum a criança apresentar todos estes tipos de lesão ao mesmo tempo. Também há a presença de coceira.

A transmissão da catapora ocorre de pessoa a pessoa, por meio de contato direto ou de secreções respiratórias (disseminação aérea de partículas virais/aerossóis) e, raramente, por meio de contato com lesões de pele. Indiretamente é transmitida por objetos contaminados com secreções de vesículas e membranas mucosas de pacientes infectados.

O período de transmissibilidade varia de 1 a 2 dias antes da erupção até 5 dias após o surgimento do primeiro grupo de vesículas. Enquanto houver vesículas, a infecção é possível.

Na suspeita de que uma criança esteja com catapora é necessário procurar um médico para o diagnóstico, uma vez que somente um profissional qualificado poderá recomendar o tratamento e a medicação mais adequados.

Na maior parte das vezes não há indicação de uso de qualquer medicamento, sendo o mais aconselhável realizar a limpeza correta da pele com água e sabão, o que pode ser feito com cuidado durante o banho. As unhas da criança devem estar bem aparadas para evitar lesão das vesículas prevenindo o risco de novas infecções. Qualquer orientação, além desta geral, deverá ser feita pelo médico.

É importante ressaltar que apenas os casos graves são tratados com internação hospitalar.

Os casos identificados em creches ou escolas devem ser comunicados à Vigilância Epidemiológica para que a mesma oriente os pais e direção da escola ou creche sobre a melhor conduta a ser adotada.

Uma das formas de evitar a doença é através da vacina, disponível na rede pública e na rede privada. Esta doença ocorre somente uma vez na vida. Portanto, quem já teve catapora não precisa ser vacinado.

A vacina contra catapora pode ser administrada a partir dos 9 meses, se surto ou indicação médica. Mas, no calendário vacinal, é recomendada a partir dos 12 meses de idade e a segunda dose aos 15 meses de idade. Esta vacina também está indicada para adultos que não tiveram varicela. Estes devem receber duas doses da vacina, com intervalos que dependem da sua faixa etária.

VARICELA

 

 

A LABENE Clínica e Vacinas tema a vacina disponível.

Existem diferenças entre as vacinas da rede pública e as da rede particular?

 Em primeiro lugar é necessário deixar muito claro que ambas são muito seguras e fornecem uma boa proteção imunológica. Porém, não são totalmente iguais, e as da rede particular fornecem mais benefícios individuais do que as da rede pública, conforme descreveremos a seguir.

As diferenças ocorrem porque cabe ao sistema público vacinar o indivíduo com foco na saúde coletiva enquanto cabe ao sistema privado vacinar o indivíduo com foco na proteção individual

A vacina TRÍPLICE BACTERIANA (difteria/coqueluche/tétano); na rede particular a vacina tem um formulação diferente daquela da rede pública e por isto provoca bem menos reações e com intensidade menor.

A vacina ROTAVÍRUS na rede pública é a monovalente, que protege apenas contra um sorotipo de Rotavirus, mas oferece proteção cruzada contra outro sorotipo e é dada em 2 doses, na rede privada a vacina Rotavirus é Pentavalente, portanto atua na proteção contra 5 sorotipos diferentes de vírus e é feita em 3 doses, portanto confere mais proteção ao bebê.

As vacinas contra MENINGITE tem uma grande diferença, uma vez que na rede pública a vacina oferecida é somente contra a Meningite C enquanto na rede privada existe a disponibilidade da vacina contra meningite A, C, W, Y, fornecidas em uma aplicação (ACWY) e a vacina contra a meningite B. A importância destas vacinas reside no fato de que tem sido observado aumento na proporção de casos de doença meningocócica pelos sorotipos B e W em muitos países, inclusive o nosso.  Além disso, em muitos países o risco de infecção pelos tipos B, A, W e Y é maior que no Brasil, de modo que esta vacina se torna a melhor opção para viajantes.

A vacina Haemophilus tipo B é idêntica na rede pública e na rede particular, porém a diferença está em que na rede privada é oferecida uma dose a mais, garantindo ainda mais a proteção das crianças.

A vacina PNEUMCÓCICA (Pneumo 10 ou Pneumo 13). Na rede pública é fornecida a Pneumo 10, que protege contra 10 subtipos de pneumococos enquanto que a Pneumo 13, disponível somente na rede privada irá proteger contra 13 subtipos de pneumococos.

A vacina contra VARICELA (catapora) tanto da rede pública quanto da rede particular são iguais, porém na rede pública é oferecida apenas uma dose enquanto que na rede particular são oferecidas 2 doses o que confere maior proteção á criança.

A vacina contra a HEPATITE A também, tanto da rede pública quanto da rede particular são iguais, porém na rede pública é oferecida apenas uma dose enquanto que na rede particular são oferecidas 2 doses.

A vacina contra HPV é a quadrivalente tanto na rede pública quanto na privada, porém na rede pública está disponível para meninas de 9 a 13 anos e na rede privada, está disponível para meninas e mulheres de 9 a 45 anos e para meninos e homens de 9 a 26 anos.

A rede particular segue as recomendações da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm).

Converse com seu médico, converse com a LABENE.

Iniciar conversa
1
Olá, como podemos te ajudar?