Pneumonia

O pneumococo é responsável por cerca de 30% dos casos de pneumonia em todo o mundo e no Brasil é a 2ª doença respiratória mais comum sendo escalada como a 5ª causa mais importante de morte no país. A pneumonia atinge pessoas de todas as idades e você pode prevenir! A vacina “13-valente” estimula a produção de células de memória do sistema imunológico, o que facilita a identificação de agentes infecciosos para montar a defesa dos anticorpos mais rapidamente e por isso é indicada (em bula e calendário) para TODAS AS IDADES à partir dos 2 meses de vida. Cuide da sua saúde, cuide da sua família! A prevenção está pertinho de você: Labene Clínica e Vacinas. Vem pra cá!

PORTADORES DE DOENÇAS CRÔNICAS E VACINAÇÃO

 

O aumento da expectativa de vida, decorrente de uma série de fatores como os avanços na área médica, acabam por aumentar também o número de pessoas com doenças crônicas, o que torna as imunizações um recurso importante que influencia a redução da morbidade e mortalidade nesse grupo de pessoas.

Muitas doenças crônicas aumentam o risco para infecções que podem ser prevenidas por imunização, evitando-se também uma descompensação da doença principal, por exemplo: uma pessoa com problemas cardíacos tem uma possibilidade maior de contrair pneumonia e esta pneumonia agravar o seu problema no coração.

Assim, a indicação de esquemas vacinais deve ser norteada pelas características de cada doença e a predisposição para infecções que podem ser evitadas com a vacinação.

O Programa Nacional de Imunizações (PNI), por meio dos Centros de Referência para Imunobiológicos Especiais (Cries), oferece aos portadores de doenças crônicas e seus contactantes o acesso à imunização, obedecendo às normas publicadas em manual específico.

Apesar de ser um assunto de grande complexidade, todo indivíduo deve estar com seu calendário de vacinação em dia.

Tal orientação quanto ao calendário de vacinação deve ser dada ou pelo médico do paciente ou pelo médico das clínicas de vacinação quer sejam públicas ou privadas. Esta é uma das razões porque os Conselhos Regionais de Medicina exigem a presença de um médico como Responsável Técnico pelos serviços de vacinação.

Existem vacinas que pacientes pertencentes a estes grupos especiais devem receber e outras vacinas que não podem receber.

A Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) tem uma orientação técnica com as vacinas que devem ser especialmente recomendadas aos indivíduos com risco aumentado para aquisição e/ou complicações de doenças imunopreveníveis.

Os médicos devem seguir tais orientações, uma vez que ali está a fundamentação de cada indicação e as orientações conforme a patologia e a presença de outras condições especiais.

É muito importante se saber que, por exemplo, pacientes portadores de doenças reumatológicas e que fazem uso de medicamentos que diminuem a resistência (imunossupressores) não apresentam risco maior para eventos adversos ao receberem vacinas inativadas. No entanto, as vacinas vivas atenuadas podem representar riscos e seu uso deve ser analisado pelo médico em cada caso individualmente.

Também é de extrema importância a vacinação dos contactantes (familiares e cuidadores), uma vez que reduz os riscos de infecção dos portadores de doenças crônicas, principalmente no caso de imunodeprimidos para os quais a vacinação está contraindicada ou a eficácia da vacina está comprometida.

A SBIm tem calendários específicos para os portadores de doenças hepáticas (do fígado) crônicas, doenças cardíacas crônicas, doenças pulmonares crônicas, doenças neoplásicas, pessoas em uso de imunossupressores, doença renal crônica, ausência do baço, doenças reumatológicas, pessoas transplantadas ou candidatas a transplante, transplantados com células tronco e outras situações especiais.

Converse com o seu médico, converse com o médico da LABENE, proteja-se, proteja seu familiar.

PNEUMONIA – PREVINA-SE

 

Estamos passando por um período em que a incidência de gripe está ocorrendo em níveis mais elevados do que em anos anteriores, de forma que as pessoas ficaram mais preocupadas, procurando uma forma de se prevenir contra o vírus H1N1 através da vacinação.

Sempre que se fala em gripe, pensa-se também em pneumonia. Apesar de serem doenças diferentes, algumas coisas são comuns, por exemplo, a febre, a prostração, tosse, etc.

A pneumonia, diferente da gripe, geralmente é causada por uma bactéria denominada pneumococo. Esta mesma bactéria pode também causar outras doenças como a sinusite, otite e meningite.

É possível também esta mesma bactéria levar a quadro de septicemia, quadro este de gravidade bem maior.

Todos estamos vulneráveis a estas bactérias, porém quando por alguma razão nossa resistência está diminuída, aí então passamos a ter predisposição para desenvolver as doenças acima citadas.

O inverno é a época mais propícia para as infecções respiratórias como resfriados, gripes e pneumonias. Nesta época os quadros de pneumonia aumentam em até 30%.

Esta doença se desenvolve principalmente nas pessoas idosas ou muito jovens. Em adultos, ocorre com maior frequência em homens, fumantes e durante o inverno. A pneumonia pode ser perigosa para os pacientes frágeis e para esses, um tratamento em um meio hospitalar é na maioria das vezes necessário. Em uma pessoa normal, uma pneumonia pode ser tratada em casa e ela dura em geral de duas a três semanas.

Há um século, um famoso médico chamado Willian Osler já constatava que “a pneumonia é o final natural das pessoas idosas…” hoje isto ainda é uma verdade, porém, agora temos como prevenir.

Assim como para a gripe, a pneumonia também tem uma vacina e esta vacina previne contra as infeções pelo pneumococo (pneumonia, otite, meningite, septicemia).

Há muito que vacinação deixou de ser coisa de criança, e hoje contamos com várias vacinas indicadas para uso adulto.

A vacina “pneumocócica 13-valente (conjugada)” comumente chamada de Pneumo 13, esta indicada na infância e nas pessoas maiores do que 50 anos e a aplicação é intramuscular.

Os idosos fumantes, pela grande probabilidade de virem a desenvolver doenças respiratórias, devem ser orientados a receberem a vacina contra pneumonia.

Os idosos portadores de doenças crônicas como problemas cardíacos, diabetes, problemas respiratórios, etc, tem indicação formal para serem vacinados.

As pessoas com mais de 50 anos, mesmo que não tenham doenças crônicas também tem indicação de receberem a vacina, converse com seu médico.

 

 

Iniciar conversa
1
Olá, como podemos te ajudar?