Pediatra

No dia 02 de maio, a médica pediatra, imunologista e alergista Dra. Claudia Lobo Cesar, da Labene Clínica e Vacinas @labenevacinas, participou de uma live sobre Maus Tratos na Infância junto com a psicóloga Rachel Cesar @setting_terapeutico, mestre em Psicologia do Desenvolvimento, que falou diretamente de Portugal.⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

As duas profissionais explicaram como identificar os sinais de maus tratos nas crianças e ressaltaram as consequências disso ao longo do desenvolvimento.⠀⠀⠀⠀

Para quem perdeu a live ou tem interesse no assunto, ela está gravada no canal do Setting Terapêutico no Youtube. Confiram!

Parte I: https://www.youtube.com/watch?v=aTiwiuqe6FA

Parte II: https://www.youtube.com/watch?v=lzoTyDAcClw

#LabeneClínicaeVacinas #labeneclínicaevacinas #pediatraclaudialobocesar #pediatria #pediatriacomamor #settingterapeutico #maioamarelo #livemaustratosnainfância #depressãoinfantil #maustratosnão #Itatiba #brasil #portugal #psiquiatria #psicologia #infância #prevenção #fiqueemcasa

A Alergia à proteína do leite de vaca e a intolerância à lactose são doenças distintas, porém sabemos que muitas vezes essas duas patologias se confundem.

A alergia à proteína do leite de vaca inclui sintomas específicos relacionados à ingestão do leite de vaca e seus derivados, como sangramento nas fezes dos bebês, lesões de pele conhecidas como urticária, vômitos, diarréia, entre outros. Esses sintomas podem ocorrer imediatamente após o consumo ou aparecer dias após a ingestão.

Já a intolerância à lactose ocorre devido à deficiência da lactase, enzima que digere o açúcar do leite. A deficiência de lactase é rara nos bebês, acometendo mais as crianças maiores e adultos. Os sintomas incluem dor e distensão abdominal, fezes explosivas e muitos gases. É importante ressaltar que nem todos os bebês que possuem o diagnóstico de alergia à proteína do leite de vaca necessitam ser retirados do seio da mãe.

Outra observação que merece destaque é que Alergia à lactose não existe!

Por Dra. Vanessa Cesar Geovanini

Veja mais informações sobre este assunto no vídeo que está no nosso Canal do Youtube.

A consulta de pré-natal com pediatra apesar das evidências científicas indicarem ser tão benéfica para reduzir a incidência de doenças e mortalidade infantil ainda não é uma realidade na rotina dos consultórios dos pediatras. Alguns motivos são a escassez de conhecimento da população, a falta de encaminhamento das gestantes pelos obstetras, a não inclusão ainda na rotina do SUS e dos planos de saúde.Os novos pediatras precisam se habilitar para a realização dessa consulta.

Este é um período fundamental para que sejam iniciadas as orientações preventivas para os pais quanto à sua relação com a criança que vai nascer, tanto do ponto de vista de conexão emocional, quanto com relação a alimentação e sobretudo ao aleitamento materno , ao sono, as etapas do desenvolvimento as vacinas, e as principais doenças do período neonatal.

Este tipo de consulta pode diagnosticar e solucionar problemas ocorridos durante a gestação, que podem influenciar negativamente na saúde do bebê que vai nascer como, por exemplo, problemas com as mamas que podem intervir negativamente na amamentação e que podem ser solucionados antes do nascimento. Problemas metabólicos e nutricionais da gestante também podem causar restrições de crescimento intra-uterino levando ao nascimento de bebês PIGS, isto é, pequenos para idade gestacional associado ao maior risco de mortalidade e patologias não só no período neonatal mas também que pode influenciar na saúde até a fase adulta.

O pediatra pode ainda avaliar doenças genéticas, infecciosas e outras complicações secundárias a doenças maternas. As orientações fornecidas nessa consulta ajudarão os pais a serem competentes cuidadores de seus filhos por meio da abordagem dos cuidados com o bebê antes do nascimento e aspectos práticos relacionados ao recém nascido, riscos de doenças neste período, prevenção de acidentes, necessidades nutricionais.

Levar ao conhecimento os tipos de testes de triagem neonatal. Muitas famílias deixam de realizar estes testes no período certo por falta de conhecimento e outras o fazem mas esquecem de mostrar ao pediatra por desconhecerem a importância e nem mesmo sabem as doenças que ele identifica.

Existem tantas vantagens e assuntos a serem abordados nessas consultas que não vou conseguir citá-las todas aqui, porém é muito importante que seja do conhecimento dos pais que a consulta pediátrica pré-natal se configura em uma oportunidade da formação de vínculo entre o pediatra e a família e de abordar muitos aspectos de promoção da saúde da criança desde o período de vida intra-útero, repercutindo positivamente nos adultos que serão no futuro.

A melhor fase da gestação para que essa consulta pediátrica neonatal ocorra é no terceiro trimestre da gestação. Certamente está consulta vai diminuir muito o estresse do período perinatal, respondendo às dúvidas que os pais tenham quando esperam o nascimento de seus filhos. Logo após o nascimento o pediatra diminui o estresse dos pais o que contribui, de forma significativa, com a qualidade de vida da família.

Espero ter ajudado.

Obrigada e até o próximo artigo.

Dra. Cláudia Lobo Cesar

Iniciar conversa
1
Olá, como podemos te ajudar?