Vacina de alergia


A vacinação contra alergia (imunoterapia específica contra alérgenos) é um método de tratamento utilizado para doenças alérgicas já há mais de 100 anos, o que já nos permite concluir pela segurança e eficácia deste tipo de terapia.

Este método está indicado para doenças alérgicas cujo mecanismo alérgico envolve anticorpos específicos da classe IgE que são produzidos em resposta a substâncias consideradas alérgenos, como, por exemplo: ácaros, fungos, pólens, alimentos, epitélio de animais, barata, etc.

As alergias mediadas por IgE ocorrem logo após o contato com o alérgeno.

A imunoterapia alérgeno específica consiste na introdução, por via injetável (subcutânea), ou via sublingual de quantidades crescentes do alérgeno, com objetivo de se obter um estado de tolerância a esta substância.

As vacinas de alergia, além de regularem a produção de anticorpos da classe IgE, diminuem a quantidade de células inflamatórias que participam da reação alérgica.

Os efeitos ocorrem aos poucos conforme as vacinas vão sendo aplicadas, observando-se uma redução gradual dos sintomas.

Existem reações alérgicas provocadas por outros mecanismos diferentes deste (mediado por IgE), estas reações não respondem ao tratamento com vacinas. E também não são todas reações mediadas por IgE que podem ser tratadas com vacinas.

As principais doenças mediadas por IgE para as quais as vacinas de alergia estão indicadas são: asma, rinite alérgica, conjuntivite alérgica, alergia a picadas de insetos (especialmente abelhas, marimbondos, vespas e formigas) e dermatite atópica (que é um tipo de alergia de pele).

A imunoterapia alérgeno específica segue sendo o único tratamento capaz de alterar a evolução natural das doenças alérgicas.

Apesar de transcorridos mais de 100 anos após a sua introdução na prática clínica, novos conhecimentos sobre a imunoterapia alérgeno específica tem sido constantemente adquiridos, colaborando para a melhor eficácia e segurança do método.

Para que as vacinas de alergia tenham uma boa eficácia é muito importante o diagnóstico correto, feito por especialistas. Uma história clínica detalhada relacionando o aparecimento do sintoma com a exposição à substância em questão é o primeiro requisito para se iniciar o tratamento.

Outro aspecto importante é a avaliação da presença de resposta alérgica no sangue (Imunocap) ou na pele (prick test).

Possíveis efeitos adversos podem ocorrer durante o prick test e também na aplicação das vacinas, daí a importância de ser realizado por especialistas na área e em lugar preparado para solucionar eventuais efeitos colaterais.

Mesmo sendo este método de diagnóstico e tratamento largamente utilizado e muito bem fundamentado tecnicamente e amparado pelas Sociedades de Especialidades Médicas ainda existem profissionais resistentes a estes procedimentos, o que revela, sem dúvida uma falta de informação técnica sobre o assunto.

Apesar do crescente avanço no desenvolvimento de novas abordagens terapêuticas, a imunoterapia alérgeno específica, mesmo sendo um método secular continua cada vez mais atual mantendo um lugar de destaque no tratamento de doenças alérgicas.

A partir do mês de novembro de 2017 a LABENE Clínica e Vacinas realizará os testes alérgicos assim como a vacinação para alergia.