Transtorno do Espectro Autista

Fabiane Massafera Rosa

Fonoaudióloga Clínica – LABENE Clínica e Vacinas

Fonoaudióloga APAE de Itatiba (Programa A.M.E.)

        BEM VINDA AO MUNDO DAS MÃES ESPECIAIS

A descoberta da gravidez é uma mistura de medos, anseios e felicidade. A partir daí, nasce uma mãe. Uma mãe que espera a vinda de um filho saudável, lindo (“a cara da mamãe, de preferência…”) e querido por todos. Os meses passam e o desenvolvimento daquele bebê tão idealizado é aquém do esperado. Surge aí a avalanche de dúvidas, comparações com outras crianças, até que o diagnóstico vem. O diagnóstico que resulta na interrupção do sonho e no nascimento da realidade para qual nenhuma mãe se preparou. “Meu filho é especial. Meu filho é autista”.

O Transtorno do Espectro do Autista (TEA) é uma condição que afeta o desenvolvimento humano principalmente em áreas responsáveis pela comunicação, socialização e comportamento. Infelizmente o autismo não tem cara, forma física e nem é diagnosticado em exames de sangue ou quaisquer outros laboratoriais. O comportamento da criança, complementado a dados de uma equipe de especialistas e familiares, nos leva a um diagnóstico. Estudos recentes, demonstram a eficácia da realização de uma triagem para detectar autismo em bebês de até 2 anos de idade. A detecção precoce é importante para o desenvolvimento dessa criança, desde a linguagem, aspectos sociais e escolares.

Dificuldades na linguagem, interação social, padrões inadequados de comportamento e repetições sem finalidade, são os principais sintomas. Outros sintomas são apresentados também, porém, convém ressaltar que cada criança é diferente uma da outra, e isso não vai ser diferente na criança autista. A informação e estabelecimento de rotinas que adiantem as ações são de extrema importância para o indivíduo com TEA. Estes, são muito concretos, geralmente não entendem piadas ou mensagens no sentido figurado da língua, não são sensíveis à dor, não tem noção do perigo, apresentam dificuldade em processamento de informações dentre outros sintomas.

O envolvimento de uma Equipe Multiprofissional, atrelados a exames complementares no atendimento desta criança, só tem a acrescentar em seu desenvolvimento. No A.M.E. (Atendimento Multidisciplinar Externo), uma equipe realiza a avaliação complementar após a triagem pela instituição. As crianças atendidas e encaminhadas, já são acompanhadas junto à equipe, familiares e à escola, tripé este responsável para o sucesso de uma Inclusão Efetiva.

A parceria também se estende ao médico pediatra, que encaminha a criança, mesmo que nos primeiros meses, com algumas características observadas, para avaliação fonoaudiológica. Esta primeira observação/e ou impressão devem ser exploradas e acompanhadas no decorrer das sessões de terapia e desenvolvimento desta criança, tanto na escola como no ambiente familiar.

A intervenção precoce e continuada do fonoaudiólogo nos Distúrbios de Desenvolvimento, juntamente com a parceria da escola e da Equipe Multidisciplinar é fundamental para que o quadro clínico apresentado pelos indivíduos com Transtorno do Espectro Autista evolua satisfatoriamente, no que tange a sua comunicação geral e em especial para o desenvolvimento de sua linguagem receptiva e expressiva, oral, gestual e escrita, capacitando-o para compreender, ser compreendido e agir sobre o ambiente que o cerca.

 

 

×
Ola, o que podemos ajudar?