Pré-natal pediátrico: o que é e porque fazer?

Dra. Vanessa Cesar Geovanini  

Pediatra – LABENE Clínica e Vacinas

O pré-natal pediátrico é uma consulta muito especial, uma vez que consiste em um primeiro encontro entre o pediatra e os futuros pais e familiares do bebê que vai nascer. É preferível que essa consulta ocorra nos últimos meses de gestação, porém, nada impede que seja realizada em qualquer outro estágio da gravidez.

A finalidade primordial desse primeiro encontro é o acolhimento da família, na qual o pediatra vai se disponibilizar a ajudar no manejo dos inúmeros anseios acerca do nascimento do bebê.

Durante essa consulta, o pediatra também poderá identificar as gestações de maior risco, como o aumento da pressão arterial, diabetes, exposição a certos tipos de medicamentos, susceptibilidade a algumas infecções e, dessa maneira, se programar para o atendimento adequado do recém-nascido exposto a tais situações.

Atualmente, sabemos que as infecções maternas adquiridas durante a gestação inserem o bebê num ambiente inflamatório que pode repercutir no seu desenvolvimento e predispor a malformações e a algumas doenças como autismo, esquizofrenia e psicose. Sendo assim, é uma condição que deverá alertar o pediatra para a identificação precoce dessas alterações.

Outras questões abordadas na consulta incluem os primeiros cuidados do bebê ao nascer, o suporte ao aleitamento materno, informações sobre as vacinas e as diferenças dos calendários vacinais propostos pela rede pública e rede privada, garantia da segurança da casa e do quarto do bebê, planejamento das rotinas de banho, sono, higiene oral e do coto umbilical, vestimenta adequada, explicações sobre a importância das medicações que previnem anemia e hipovitaminose D nos primeiros anos de vida e instrução dos pais para a identificação e manejo de situações de risco como engasgos, quedas, presença de febre, mudanças súbitas de comportamento, entre outros.

Dentre os assuntos citados acima, um que merece sempre muita atenção são as questões relacionadas à amamentação. Transcorrer sobre a importância do aleitamento materno continua sendo enfoque diário e persistente da prática pediátrica.

Várias razões justificam essa postura. Para ilustrar e reforçar a excelência desse alimento exemplifico as mudanças que ocorrem no leite produzido pela mãe conforme a idade gestacional do bebê: o recém nascido que é prematuro tem acesso a um leite mais rico em gordura do que o leite que é produzido para alimentar o bebê nascido a termo.

Uma vez absorvida essa ideia, podemos desmistificar a existência do “leite fraco”, tão difundida culturalmente e que priva o binômio mãe/bebê de umas das experiências mais afetivas vividas durante a maternidade.

Vale ressaltar que todo recém-nascido deve ser mantido na posição ereta após as mamadas por aproximadamente 20 minutos, independente da presença do arroto. Essa medida minimiza a presença das regurgitações, que podem ser interpretadas erroneamente como vômitos. O retorno do leite do estômago para a cavidade oral é chamado de refluxo gastroesofágico e pode ser considerado normal mesmo quando ocorrem várias vezes ao dia.

Porém, se as regurgitações estiverem associadas à irritabilidade na hora de mamar, recusa das mamadas ou perda de peso, pode sinalizar a presença da doença do refluxo, que deverá ser tratada com medicação específica.

Outro assunto pouco abordado nas consultas pediátricas de rotina, mas que se destaca nas consultas do pré-natal pediátrico diz respeito à prevenção de acidentes.

Sabe-se que o próprio lar da criança é o local onde ocorre a maioria desses acidentes, sendo o berço o grande vilão na faixa etária do 0 aos 6 meses. Portanto, deve-se dar muita atenção às especificações firmadas pelo INMETRO.

Além disso, certifique-se de não deixar próximo às crianças objetos que possam lhe causar danos como, por exemplo, travesseiros fofos, fios de telefone, sacolas plásticas, objetos pequenos ou pontiagudos.

Não consumir bebidas quentes com a criança no colo e tomar cuidado com a temperatura da água do banho também são recomendações fundamentais.

Sabemos que o nascimento de uma criança traz muita alegria e momentos enriquecedores e felizes, mas também traz consigo uma infinidade de dúvidas e anseios e nós, pediatras, acreditamos que esse primeiro contato com a família seja de suma importância para assegurar que essa experiência seja vivida plenamente, livre de angústias e pesos emocionais.

 

 

×
Ola, o que podemos ajudar?