MENINGITE E INVERNO

MENINGITE E INVERNO

 

A meningite é uma inflamação que acomete as meninges, membranas que envolvem e protegem o cérebro, a medula espinhal e outras partes do sistema nervoso central.

É uma doença que habitualmente exige muita atenção, pois muitas vezes pode se apresentar em forma muito grave.

Há necessidade de se permanecer alerta no período de inverno, porque a meningite é transmitida pelas vias respiratórias como gotículas e secreções da naso e orofaringe (nariz e boca). Nos meses frios e secos, as pessoas tendem a se concentrar em ambientes fechados, o que facilita o contágio.

As meningites são causadas mais frequentemente por vírus ou bactérias, sendo que aquelas causadas por vírus tem uma evolução melhor, pois são menos agressivas, porém as bacterianas costumam ser mais graves.

A meningite viral apresenta sintomas parecidos com os da gripe como febre, dor de cabeça, mal estar e dores no corpo, cujo diagnóstico correto e precoce podem evitar complicações com o tratamento sintomático, já que não existe tratamento específico.

A meningite bacteriana é mais comumente causada pelas bactérias meningococos, pneumococos e hemófilos. Se não identificada com rapidez e tratada da forma correta pode deixar sequelas, uma vez que toda infecção que acomete o sistema nervoso central é considerada grave uma vez que pode causar danos como: paralisia motora, cegueira, surdez, demência, epilepsia.

Além disso, a infecção pelo meningococo (bactéria que frequentemente causa meningite) pode causar infecção generalizada.

Os sintomas mais habituais da meningite bacteriana são: febre alta, mal estar, vômitos, dor forte de cabeça e no pescoço, dificuldade para encostar o queixo no peito e, às vezes, manchas vermelhas espalhadas pelo corpo. Nos bebês, é importante atenção para a moleira, que fica elevada.

É importante que se diga que a meningite bacteriana é totalmente curável, porém para que se tenha um bom resultado no tratamento é fundamental que o diagnóstico seja feito o mais rápido possível e o tratamento iniciado de forma correta e em curto espaço de tempo.

O meio mais eficaz para se evitar a meningite é a vacinação. Hoje existem disponíveis vacinas contra os Meningococos tipo A, B, C, W e Y, Haemophylus influenzae b e Pneumococos, e estas vacinas podem ser feitas em crianças já a partir de 2 meses de idade e também em adolescentes e adultos.

É fundamental que os adultos se vacinem uma vez que eles são os principais transmissores da doença para as crianças. É cada vez mais comum conviver em aglomeração, como em festas. E os espaços fechados com acúmulo de pessoas são propícios para a transmissão de qualquer bactéria e vírus da meningite.

Previna-se contra a meningite, proteja sua família, proteja suas crianças. Converse com seu médico, converse com a LABENE.

 

×
Ola, o que podemos ajudar?