Fevereiro Safira- Primeiros Mil Dias: pelo futuro das crianças

Esta é a campanha deste mês da Sociedade de Pediatria de São Paulo, coordenada pelo Dr. Rubens Feferbaum, presidente do departamento de Nutrição da SPSP.

Qual a importância dos primeiros MIL DIAS na saúde das crianças?

Primeiro vamos entender o que significam esses mil dias: É o período na vida da criança onde ela pode desenvolver seu POTENCIAL MÁXIMO DE CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO, refletindo na vida adulta tanto na prevenção de doenças orgânicas quanto doenças mentais.

Este período valioso na vida de uma criança, corresponde às 40 semanas de gestação (270 dias) somadas aos dois primeiros anos de vida (730dias).Vários estudos realizados e publicados em revistas de medicina renomadas no período de 2008 a 2013, concluíram que os cuidados com a saúde da criança já devem ter início logo que a mãe descobre que está gerando um filho até a mesma completar 2 anos de vida.

Nestes primeiros MIL DIAS do desenvolvimento e crescimento da criança é onde o metabolismo celular é mais acelerado, isto é, onde o crescimento, tanto físico como neurológico se desenvolve com mais rapidez. 80% do cérebro se desenvolve durante este período.

As crianças nascem com uma herança genética herdada dos seus pais, porém existem evidências científicas mostrando que hábitos da vida e o ambiente social onde essas crianças estão inseridas podem modificar o funcionamento de seus genes. Esses mecanismos são conhecidos como epigenéticos (que podem alterar a estrutura do DNA). Isto quer dizer que hábitos de vida saudável, incluindo boa nutrição, assim como estímulos paternais adequados, como por exemplo: carinho e afeto, favorecem a saúde global e o desenvolvimento cognitivo e emocional da criança para a fase adulta.

Durante esses primeiros MIL DIAS das crianças é que é possível impactar na redução da mortalidade e danos ao crescimento e neuro-desenvolvimento futuro das mesmas.

Os estudos mostram a importância da nutrição, tanto da gestante quanto das crianças nos seus dois primeiros anos de vida evitando a subnutrição e a obesidade que durante este período é crucial na prevenção das doenças crônicas não transmissíveis como a diabetes, dislipidemias (aumento do colesterol e triglicerídeos) e pressão alta e ainda alguns tipos de cânceres.

Além da nutrição, cuidados com a saúde, com a vacinação das gestantes e crianças prevenindo doenças infectocontagiosas, e estímulos familiares e ambientais adequados, visando o desenvolvimento mental e a prevenção de distúrbios emocionais dos pequenos.

Podemos chegar a conclusão do quanto é importante o pré-natal adequado, iniciado pelas mulheres já enquanto o desejo de engravidar cuidando o quanto antes de sua saúde mental e física, incluindo principalmente a boa nutrição, uma vez que o déficit nutricional pode ocasionar bebês com baixo peso ao nascer e prematuridade. O excesso de nutrientes pelo contrário pode fazer as gestantes gerarem bebês com excesso de peso, agravando ainda mais o risco de desenvolverem na vida adulta as doenças crônicas não transmissíveis já relatadas acima.

Ressaltamos aqui também quanto ao perigo do consumo de álcool na gestação (prevenção da Síndrome Alcoólica-Fetal) assim como o fumo, devem ser orientados à importância de um estilo de vida saudável da gestante, com a finalidade de gerarem bebes saudáveis tanto do ponto de vista físico quanto neurológico.

Após o nascimento, os bebês devem ser acompanhados pelos pediatras escolhidos por seus pais com a finalidade de monitorar o crescimento e desenvolvimento pôndero-estatural e neuro-psico-motor assim como orientar a vacinação e a amamentação exclusiva sempre que possível até os seis meses de vida e complementada por outros alimentos até o segundo ano de vida. O leite materno continua sendo o alimento ideal principalmente no quesito nutrientes, fatores de proteção contra infecções e para o desenvolvimento neurológico do bebê.

Importante também enfatizar que a consulta com pediatra no pré-natal é fundamental para que sejam iniciadas as orientações preventivas para os pais quanto à sua relação com a criança que vai nascer, tanto do ponto de vista de conexão emocional, quanto com relação a alimentação e sobretudo ao aleitamento materno, ao sono, às etapas do desenvolvimento, às vacinas necessárias e às principais doenças da fase neonatal. O pediatra também irá conversar da prevenção das principais afecções em curto e longo prazo. O bom pediatra pode trazer reflexões importantes para os pais e responder às dúvidas que estes tenham quando esperam o nascimento de seus filhos.

Fonte: SPSP- Sociedade de Pediatria de São Paulo (Texto divulgado em 23/01/2019). A consulta pediátrica pré-natal: Normeide Pedreira dos Santos França.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×
Ola, o que podemos ajudar?