CUIDANDO DA SUA VOZ

No dia 16 de Abril é comemorado o “Dia Mundial da Voz”. Neste mês, ações preventivas e de orientação sobre os cuidados com a voz ocorrem em várias partes do mundo. O objetivo é prevenir as doenças e alterações da voz, principalmente o câncer de laringe, que pode trazer como sintoma a rouquidão.

A voz é uma das extensões mais fortes da nossa personalidade, nosso sentido de inter-relação na comunicação interpessoal, um meio essencial de atingir o outro. A voz humana já existe desde o nascimento, e se apresenta de diversas formas, tais como choro, grito, riso e sons da fala. Ela é uma expressão individual, como uma impressão digital.

A voz se produz na laringe. A laringe é um órgão tubular, situado no plano mediano e anterior do pescoço que, além de via aerífera e esfincteriana, é órgão da fonação, ou seja, da produção do som. Na laringe estão situadas as pregas vocais.

As pregas vocais estão em posição horizontal no interior da laringe, isto é, paralelas ao solo e são formadas por músculos que se esticam ou se retraem proporcionando a frequência vocal.

As pregas se afastam ao inspirar e o ar entra nos pulmões. Ao falar, as pregas vocais se aproximam, o ar sai dos pulmões e, passando pela laringe, produz as vibrações que resultam o som da nossa voz. Assim sendo, a voz é o resultado do equilíbrio entre duas forças: a força do ar que sai dos pulmões (aerodinâmicas) e a força muscular da laringe (mioelásticas).

Se houver um desequilíbrio nesse mecanismo, poderá ocorrer uma alteração na voz. Se o fluxo pulmonar for excessivo, a voz será soprosa e, em caso contrário, ou seja, se a força muscular for maior que a necessária, o som ficará comprimido e a voz sairá tensa.

O som produzido pelas pregas vocais na laringe passa por um “alto-falante” natural formado pela faringe, boca e nariz. Essas estruturas são denominadas cavidades de ressonância.

Os sons da fala são articulados na cavidade da boca através de movimentos da língua, lábios, mandíbula e palato, modificando o fluxo de ar vindo dos pulmões e, consequentemente, projetando o som para o meio ambiente. Esses movimentos devem ser preciosos para produzir sons claros e tornar inteligível a mensagem que se quer transmitir.

A voz depende fundamentalmente da atividade muscular de todos os músculos que servem à produção da voz, além da integridade de todos os tecidos do aparelho fonador. Quando essa harmonia é mantida, obtemos um som dito de boa qualidade para os ouvintes e emitido sem dificuldade ou desconforto para o falante. Esse som se modifica de acordo com a situação e o contexto da comunicação, habilidade esta que reflete a condição de saúde vocal. Esses atributos caracterizam a eufonia. Em oposição, quando certos atributos não são obtidos, estamos diante de uma disfonia.

O uso correto da voz evita o aparecimento ou o agravamento de problemas vocais.

Cerca de 70% da população ativa utiliza a voz como instrumento de trabalho. A esta população denominamos Profissionais da Voz. São Eles: cantores, atores, professores, advogados, recepcionistas, telefonistas, radialistas, feirantes, jornalistas, vendedores, etc..

Mas como saber se estou usando minha voz corretamente? Segue abaixo algumas dicas para cuidar da sua voz:

  • Beber muita água em temperatura ambiente,
  • Evitar gritar ou pigarrear,
  • Evite o uso de pastilhas
  • Eliminar cigarros ou bebidas alcóolicas
  • Evitar a competição sonora, ou seja, falar em ambientes com ruídos competitivos,
  • Evitar falar demasiadamente enquanto estiver em um quadro alérgico ou gripal,
  • Manter uma alimentação sadia, evitando produtos muito gordurosos ou condimentos.

Antes de usar a voz profissionalmente, evite leite ou derivados. Estes alimentos engrossam a voz, aumentam a quantidade de secreção em via aérea. Prefira comer uma maçã, por sua propriedade adstringente.

FIQUE ATENTO AOS SINTOMAS! QUALQUER UM DESTES SINTOMAS PODEM INDICAR UM PROBLEMA VOCAL!

  • Rouquidão
  • Cansaço ao falar,
  • Pigarro persistente,
  • Perda súbita de voz,
  • Dificuldade de engolir,
  • Dor ou ardência na garganta,
  • Dificuldade em manter o tom de voz

SE O PROBLEMA PERSISTIR POR MAIS DE 15 DIAS, PROCURE O MÉDICO OTORRINOLARINGOLOGISTA E UM FONOAUDIÓLOGO.

 

 

×
Ola, o que podemos ajudar?